Escolha uma Página

E aí craque, o Brasileirão 2019 começou e você quer saber se seu time vai ser campeão não é mesmo? Mas hoje vou falar sobre rebaixamento! Aqui listei os 7 indicativos que seu time pode ser rebaixado esse ano. Eu já tive a amarga experiência de ser rebaixado para a terceira divisão em 2009 pelo Fortaleza e já briguei contra o rebaixamento pelo Sport em 2007 e pelo Náutico em 2008. Com esta experiência sei alguma coisa sobre o assunto! Então vamos lá!

  1. Montagem do elenco 

Planejamento do elenco é muito importante para que os objetivos do clube sejam alcançados. No entanto, nem sempre escolher os melhores atletas significa ter um grupo heterogêneo e de qualidade. Aqui está o grande desafio, ter peças de diferentes características que juntas possam somar suas potencias e alcançar aquilo que chamamos de “encaixe”. O encaixe significa que o potencial de um atleta potencializa o talento do seu companheiro e juntos eles se tornam ainda melhores. Esse é o desafio e quando as contratações não encaixam as individualidades não promovem uma melhora na coletividade, assim os resultados tendem a não acontecer.  

  • Jogadores que não possuem perfil emocional do clube

A identificação com o clube e com o perfil emocional de cada time precisa ser respeitado na hora de contratar. Por exemplo, o Corinthians tende a buscar atletas que se encaixem no perfil da garra, raça e superação, enquanto que o Santos prefere buscar atletas com mais técnica e plasticidade. Quando os atletas não possuem essa identificação com o perfil emocional do clube é bem difícil conquistar o apoio da torcida e a aprovação da imprensa. Sem esta conexão emocional o atleta não consegue render e explorar todo seu talento. Quando a maioria dos atletas não possui essa conexão o problema se torna ainda maior.

  • Ambiente negativo 

Quando a montagem do elenco não encaixa e os jogadores não possuem o perfil emocional que o clube possui, os resultados não aparecem e a consequência disso é um ambiente negativo. Eu participei de uma equipe que tinha ótimos atletas, mas não havia uma conexão mental entre os atletas, nem tampouco uma identificação com o clube. O ambiente era extremamente negativo e não havia nenhuma emoção positiva que pudesse sobreviver naquele ambiente. O resultado é claro, foi o rebaixamento para a serie C. O ambiente é fator determinante no desenvolvimento emocional de uma equipe. Em alguns casos, o atleta pode não ser muito importante dentro do campo, mas seu perfil emocional positivo proporciona um bem coletivo que potencializa os demais atletas emocionalmente. Muitos clubes não percebem isso e acabam dispensando jogadores que geram alegria e positividade. As vezes é melhor ter um jogador mediano que pensa positivo, torce a favor, trabalha com sinceridade, do que um craque que reclama de tudo, briga com os demais atletas e torce contra seu próprio time quando fica no banco.

  • Muitas mudanças 

Trocas na diretoria, na comissão técnica e entre os jogadores. Na ânsia de encontrar soluções, a cultura brasileira escolhe os culpados primeiro, e no meu entender essa é uma péssima estratégia para alcançar resultados positivos. Muitos dirigentes não possuem conhecimento sobre o que ocorre nos vestiários e geralmente as soluções são superficiais que servem apenas para dar respostas a imprensa ou a torcida, nada mais. A maioria das mudanças que ocorrem em clubes que estão na beira do rebaixamento não surtem muitos efeitos, porque são atitudes paliativas e superficiais que não solucionam os problemas de fato. Eles falam em projeto, mas se o time perder duas partidas seguidas, acaba o projeto na hora.

  • Vulnerabilidade

Quando uma equipe precisa realizar mudanças somente para dar satisfações externas significa que não existe capacidade de blindagem interna. Muitos clubes expõem seus atletas a reuniões com torcedores, por exemplo. Isso é uma das atitudes mais covardes que um dirigente pode fazer. Por falta de capacidade de gerenciar um time, colocam os atletas na arena com os leões. Tais dirigentes, acreditam que conseguem gerar algo positivo por meio desta exposição que geralmente ocorre de maneira desorganizada e com discursos pouco polidos. Essa falta de capacidade de blindar um grupo e proteger seus atletas é um indicativo perfeito de uma equipe que vai brigar na parte de baixo da tabela o campeonato todo.

  • Azar

O azar não rebaixa nenhum time é claro, mas os todos estes fatores ocorrendo simultaneamente não há como negar que ocorre uma produção de um conteúdo emocional que promove pensamentos de baixa performance. Logo, este é ambiente perfeito para que os acasos negativos ocorram com frequência. É impressionante como o azar atrapalha mais os times que estão em baixo da tabela do que os times que estão brigando pelo título. Eu lembro, que no Fortaleza em 2009, quando estávamos jogando bem, acontecia um lance, um fato, uma lesão, um erro, que comprometia todo nosso jogo. Um time rebaixado de divisão é também um time que está se rebaixando emocionalmente o campeonato todo. E a sorte não sorri para quem está sempre de mau humor. Quando isso acontece a bola do adversário pega no morrinho artilheiro e entra. 

  • Religiosidade

Por fim, não menos importante, a religiosidade. Veja: eu sou um homem religioso. Faço as minhas orações e tenho minhas práticas espirituais ao longo do dia, no entanto, sei muito bem separar as coisas. Os diretores, entretanto, parecem não saber muito bem. Quando um clube já trocou o treinador mais de três vezes, rescindiu contrato com mais de dez jogadores, teve conversa com torcedores e nada adiantou, então os clubes apelam para a religião. Começam pelos pastores, depois padres e se a coisa não andar trazem logo o pai de santo. É uma centena de palestras espirituais para tentar “espiritualizar’ o ambiente e tentar trazer a sorte que foi embora. Quantas vezes já entrei no vestiário infestado de sal grosso. Essas atitudes mostram um desespero por parte dos próprios dirigentes porque geralmente quando o clube apela para este tipo de receita é porque não sabe mais o que fazer. O efeito nos atletas é mais negativo do que positivo, porque demonstra falta de capacidade de acreditar que o elenco é capaz de dar a volta por cima. A ideia que se passa é que “somente as forças do além que podem ajudar esse time ruim”.

Então é isso! No final veremos quais foram os times que caíram de divisão! Espero que não seja o seu, nem o meu! 

Fui!