Escolha uma Página

Hábitos mentais! Nós somos um amontoado de hábitos que às vezes nem sequer percebemos. Eles estão em toda parte. O lado da cama que você dorme, a maneira que escova os dentes, a forma que dirige seu carro, as maneira que veste suas roupas, etc… Existem milhares de atividades diárias

padrões mentais em atletas

que fazemos sem pensar muito, isto porque elas se tornaram um hábito.

Nossa estrutura de pensamento também possui hábitos e eles podem fazer muita diferença na construção e desenvolvimento da sua vida como um todo. Os maus hábitos alimentares geram problema relacionados a saúde como excesso de peso, colesterol, fadiga e mal funcionamento dos órgãos. Os maus hábitos mentais também podem atrapalhar a saúde, acabar com os sonhos e destruir nossas relações.

Existem três hábitos profundamente destrutivos que roubam nossa força mental. Eu falo com experiência porque consigo ver cada detalhe e o poder de destruição que eles tiveram em minha vida e na minha felicidade.

Em primeiro lugar é alimentar o sentimento de vítima da sua própria vida. Em resumo, o problema não é o problema, mas é como reagimos. Pense comigo! Eu não tenho o controle sobre o clima, sobre o humor do meu treinador, nem sobre a preferencia da torcida, da imprensa. Se um estádio inteiro resolve me vaiar isto possui um poder de influência externa que pode, dependendo da minha reação, influenciar poderosamente o que acontecerá internamente em meus pensamentos. Não consigo controlar o ímpeto da torcida, nem suas paixões, mas eu escolho se estas vaias vão dormir comigo e transformar minha vida, minha consciência, meus valores, meus pensamentos, meu humor e minhas ideias.

O problema não são as injustiças, pois qual ser humano não vivenciou dores e perdas nesta vida? O problema é a forma como reagimos e qual é a identidade que assumimos ante as desilusões e tristezas. Se alimento pensamentos do tipo: “sou muito azarado”, “sempre comigo”, “nasci para perder”, “sempre sobra pro mais fraco”, “eu já esperava isso acontecer comigo”, “sempre soube que ele não gostava de mim”, “nada dá certo para mim”, cuidado! Se esses são seus primeiros pensamentos diante dos problemas, torno-me passivo, inoperante, coitado.

Em segundo lugar um hábito que destrói nossa capacidade mental de criar momentos positivos em nossa existência é não assumir a responsabilidade da vida. É deixar com que outras pessoas governem as emoções e sentimentos. Um atleta profissional precisa ter muita responsabilidade por suas emoções, porque a todo instante está sendo bombardeado por criticas, vaias, pensamentos e interpretações do mundo. Assumir a responsabilidade da vida é também não abrir mão do poder que temos em fazer, ser e pensar de acordo com nossas próprias convicções. É a forma como identificamos e interpretamos todas estas coisas que vão ser mais importante em todo este processo. Se você tem a responsabilidade assumida, tem também emoções e relações mais saudáveis. Isto porque consegue perceber com clareza se a crítica é importante e você deve compreender que está errado. É ter a maturidade de analisar a si mesmo diante um momento de dificuldade e saber que você cometeu erros que precisam ser assumidos. É não se esconder das demandas da vida! Nós não somos perfeitos e saber disso também é importante no processo de desenvolvimento mental.

O terceiro hábito que destruiu minhas emoções durante anos é a expectativa doentia que Deus estava me devendo algo. Esta convicção religiosa definhou minhas emoções profundamente porque gerou em mim decepções e frustrações muito importantes. Na verdade, grande parte das pessoas possui um pouco desta realidade dentro em si, visto que, se enxergam como boas, e pessoas boas, ao nosso entender, merecem receber boas recompensas. No entanto, nem sempre o mundo é assim. O que piora ainda mais a nossa situação é abrir o Facebook e ver aquele seu amigo mau caráter e mentiroso vivendo uma vida aparentemente perfeita. Aquele atacante do seu time que é o cara mais farsante da história do mundo fazendo gol como água! Essa relação de causa e efeito gera uma sensação profunda de impotência. Um dos piores hábitos dos homens “do bem” é interpretar todos os fatos negativos como prova divina. Isso os impede de perceber seus próprios erros, aonde precisam melhorar, qual é a postura que precisam modificar, como podem crescer como ser humano.

Eu descobri ao longo do tempo que a maior recompensa de ser uma pessoa boa são as relações, o afeto e a credibilidade. Que ser justo nos negócios não é uma moeda de troca na hora de fazer uma oração, mas é uma atitude que gera confiança, autoestima e credibilidade. Fui descobrindo que ser honesto em meu casamento não me colocava em uma situação privilegiada diante dos deuses, mas que trazia um clima alegre e um ambiente favorável a felicidade.

A honestidade e o comportamento ético não são moedas que devem ser trocadas por benefícios no mercado financeiro. Ambos são valores incomparáveis que desenvolvem nossas emoções e tornam nossa vida profundamente mais sólida.

Em algum momento da nossa vida teremos que usar nossa força mental. Em alguma situação o mundo vai exigir de você uma medida extraordinária de resiliência e perseverança. Seus hábitos mentais podem fazer toda a diferença na realização dos seus sonhos. Podem direcionar se você vai ser o autor da sua vida ou apenas uma vítima da sociedade. Se você vai construir uma vida que vale a pena ou se vai ser apenas alguém que viverá na mediocridade.

Eu precisava me libertar destes hábitos mentais que estavam padronizados em minha vida. Era necessário mudar minha forma de pensar. A vida toda pratiquei exercícios físicos intensos com o foco de me tornar um atleta mais preparado e forte. Há mais de 20 anos frequento salas de musculação e realizo trabalhos de preparação física, intensos e profundamente desgastantes. No entanto, minha força mental estava na direção totalmente contrária. Enquanto meu corpo se fortalecia, minha mente parecia enfraquecer. Então compreendi que deveria exercitar os músculos da emoção. Precisava encontrar uma mentalidade que pudesse transformar meus pensamentos e gerar vida, alegria e satisfação interna.

Então passei em primeiro lugar a criar um ambiente saudável com pensamentos positivos acerca da minha própria existência. Mas como assim? Simplesmente trouxe para cima da mesa todos os meus melhores momentos da vida. Tirei tudo que estava no fundo da gaveta, empoeirado pelo tempo e minimizado pelas derrotas.

Em segundo lugar, perdoei. Perdoei todo mundo, inclusive eu mesmo. O perdão tem um poder profundo de libertação. Parece que em nossa vida existem muitos lugares ocupados por pessoas e momentos que já passaram e que agora são entulhos que não permitem que você possa armazenar coisas novas e positivas. A mágoa e o ressentimento mantem você no passado, focado no problema e ruminando tristezas. O perdão te redireciona ao futuro, revitaliza seus objetivos e abre novos espaços. Se o pensamento positivo é um exercício, o perdão é a alimentação saudável. Não tem como se tornar um atleta de alta performance somente treinando. A alimentação é muito importante. O perdão é esse mecanismo que potencializa nossas emoções tornando nossos pensamentos ainda mais focados nas soluções do que nos problemas. Isso gerou um ambiente interno mais saudável.

Em terceiro assumi a responsabilidade da vida e das minhas emoções. Nem mesmo uma discussão, uma derrota, uma notícia ruim, uma vaia, críticas, iriam mudar ou alterar meus pensamentos. Eu estava assumindo todo o controle das minhas emoções. Assumir a responsabilidade é a melhor e mais profunda maneira de se comprometer com sua vida e com seu propósito de vida. E somente homens bem resolvidos mentalmente que assumem as broncas da vida. Um homem responsável é sinônimo de alguém que assumiu um compromisso real consigo mesmo.

Em quarto investi em ter bons hábitos como praticar a gratidão, a meditação, e o que acredito ser o principal, ouvir com atenção. Há anos minha esposa repetia determinadas falas, mas eu não a escutava. Quando passei a ouvir suas reclamações mais antigas e assumir a responsabilidade por elas nossa relação melhorou profundamente. Passei a ouvir melhor minha família, meu filho, meus treinadores. Isso me desenvolveu profundamente a ponto de conseguir aprender mais com os outros e curtir os momentos com mais intensidade.

Por fim, sou grato a Deus, sou grato a vida, sou grato ao mundo. Não estou profundamente liberto de pensar “ah, porque isso acontece somente comigo?”, mas estou atento a cada momento que este pensamento visita minha mente  e rapidamente consigo discernir que um cenário negativo quer se desenvolver em minhas emoções.

Ninguém é totalmente livre do mal que pode praticar contra si mesmo, mas com sabedoria, humildade e autoconhecimento podemos lutar contra isso! Você tem dentro de você todas as ferramentas para isso! Vamos pra cima!