Escolha uma Página

Depois de ler, ver muitos vídeos e críticas precisava sentar e refletir sobre tudo isso. Falar o que sinto como jogador de futebol ao ler e reler sobre o fim do moleque Neymar.

Sou fã do jogador Neymar. Alegro-me na beleza de cada lance e na plasticidade do seu jogo. Sou fã do atleta extremamente profissional e comprometido que vejo em todos os jogos. Como atleta profissional há mais de 14 anos, consigo mensurar, medir, compreender a grandeza da sua performance mesmo debaixo da pressão e da expectativa de milhares e milhares de pessoas.

Claro que não é fácil ser Neymar, mas é possível. É possível porque ele tem ferramentas e o talento necessário dentro de campo para absorver críticas e transformá-las em meras especulações. O fato é que Neymar é um gênio no campo, mas ser maduro e espetacular no campo, não significa que também o seja fora dele.

Talvez ele pudesse dar uma entrevista melhor? Ok, pode ser, mas essa não é sua genialidade. Ele poderia melhorar seu comportamento com os torcedores? Tudo bem… também acho..

No entanto, o que ficou em maior relevo nesta última Copa do Mundo é que nosso maior craque ainda precisa de mais maturidade e desenvolvimento emocional. Aquelas firulas do Neymar no meio campo nos irritavam demais! E quando ele se jogava no chão tentando simular um pênalti que não existiu?

Mas pensando aqui comigo refrescando minha memória, penso que fazemos um monte de “firulas” em nossas vidas. É uma firula danada para perdoar o próximo. Ficamos simulando umas frescuras somente por causa de carência afetiva. Somos dissimulados e muitas vezes tentamos enganar quem está “arbitrando” nosso trabalho. Grande parte das relações humanas são sustentadas com dribles e pedaladas desnecessárias. Se transformassem nossa vida em um jogo e a colocassem na tela desconfio que iríamos irritar profundamente nossos torcedores.

Nós também erramos. Aliás, a todo momento, estamos dando um passe errado, isto até encontrarmos algo que seja o equilíbrio da nossa existência. Fato esse que, às vezes, demora uma vida inteira. O erro é sempre nosso maior professor, mas no futebol errar não é humano, porque é Copa do Mundo amigo, e nesse caso, o erro não é somente um erro, é um pecado, é eliminação.

Sob as vaias e até chacota nossa maior estrela mundial abandonou o mundial calado e sem a luz que esperávamos. Escondido nas redes sociais deixou seu recado tímido e sem brilho. No entanto, as estrelas nascem para brilhar e lá estão até mesmo nos dias nublados. O atleta Neymar vai renascer. Disso tenho certeza. Mas é o homem Neymar que ganhou mais músculos nesse mundial. Se ele absorver este tempo com inteligência terá exercitado as ferramentas mais extraordinárias que um ser humano possui e assim o atleta magnífico poderá extrair as potencias que somente os homens maduros possuem.

Um moleque chamado Ronaldo saiu da copa de 1998 sob a suspeita de ter vendido a copa para a França. Depois foi desenganado pelos médicos e passou mais de 2 anos trocando de hospitais e muletas. Em 2001 já era considerado ex-jogador de futebol aos 24 anos de idade. O atleta Ronaldo estava ofuscado pelas limitações físicas, mas o homem Ronaldo estava ganhando músculos que mais tarde o fariam ser o melhor jogador do mundo novamente.

O moleque Neymar vai se despedindo da copa e vai saindo de cena para que dentro deste cenário de chacota nasça um homem mais forte e convicto. Não é a capacidade profissional que nos segura nos momentos de maior dificuldade, mas o homem que existe por de trás disso tudo. Pelo menos foi assim comigo em toda minha vida.

Àqueles que celebram e dão risadas do moleque Neymar tenho um recado: cuidado, quem ri por último, ri melhor!

Pra cima Neymar!

Confira meu site www.coachcarlosbertoldi.com e também faça parte do canal no Youtube Carlos Bertoldi. Conecte-se com uma mentalidade capaz de realizar e construir histórias positivas! Pra cima!