Escolha uma Página

Tive que me superar para vencer

Fala craques! ⚽️⚽️⚽️ Gostaria de contar a história oculta por trás desta foto. Esse cara bonito aí sou eu. As roupas estão escondendo as 2 cirurgias, 34 dias de muleta, 7 quilos perdidos, 150 sessões de fisioterapia, as lágrimas de dor, os medos e a necessidade de...

ler mais

Qual é a sua Peneira?

Fala craque! Você mora em cidade pequena? Sua cidade não possui escolinha, visibilidade e oportunidade? Ok, você então faz os cálculos e imagina: - Ou eu saio desse lugar e meto a cara ou fico aqui para sempre e não viro em nada! Existe um grande dilema no coração de...

ler mais

O que seus neurônios estão comunicando para seu ambiente?

Fala craque! Tudo bem? Eu estava estudando essa semana e descobri algo extraordinário! Nós possuímos uma capacidade contagiante que foi descoberta a pouco tempo. Nosso cérebro possui neurônios espelhos e eles se ativam exatamente naquilo que vemos nas outras pessoas,...

ler mais

Carlos Augusto Bertoldi é atleta profissional de futebol. Desde criança sabia que seu destino era jogar profissionalmente. Para isso não mediu esforços e distâncias.

Começou no futsal onde cresceu, desenvolveu e deu seus primeiros passos até ingressar no Atlético Paranaense no ano 2000 na categoria ainda infantil. No clube se tornou profissional em 2005 quando estreou sendo campeão paranaense e vice da Libertadores. No Sport Recife se tornou ídolo e referência de um time que foi bi-campeão pernambucano e obteve um acesso para serie A. Em 2008 o Náutico fez um esforço e mesmo com um pouco de polêmica, trocou de endereço para defender as cores do alvirubro. Um paulistão pelo Ituano em 2009 e o retorno ao nordeste para o Fortaleza marcaram o ano de 2009, onde se sagraria campeão cearense em 2010.

Com passagens no Olympiacos Volos da Grécia em 2011 e Pelotas em 2012, foi o melhor jogador do ano no clube do extremo sul do Brasil, eleito pela torcida.

Chegou em Hong Kong em julho de 2012 e foi campeão da liga nacional em 2012-2013 e de duas importantes copas no país.

Em 2015 retornou ao Brasil para atuar no luverdense e no mesmo ano teve que enfrentar o maior desafio de sua carreira. A descoberta de uma lesão de quadril e um péssimo diagnóstico fizeram com que encerrasse a carreira aos 30 anos de idade.

Enquanto se recuperava da cirurgia decidiu investir em conhecimento, se formando especialista em comportamento humano e em coaching, uma ferramenta da inteligência emocional.

Em 2016 decidiu contrariar diagnósticos e aplicar em sua própria existência a força da esperança. O resultado foi o retorno aos gramados em agosto.

De contrato renovado até maio de 2018 com o KMB Yuen Long fc de Hong Kong, mora com sua esposa Márcia e seu pequeno craque João Pedro.

Entre em Contato

8 + 10 =