Escolha uma Página

Poderia um atleta como o Paquetá ficar em depressão mesmo diante de tantas coisas positivas que vive em sua vida profissional? Como um jovem milionário, aparentemente bem sucedido, com vários sonhos realizados com uma carreira promissora em uma das profissões mais concorridas e amadas do planeta pode ter um suposto quadro de ansiedade e depressão? Se o Paquetá está de fato com um quadro depressivo não iremos saber, em primeiro porque se trata de sua vida pessoal e ele deve lidar com isso da maneira que acha melhor e em segundo porque esta questão emocional é um tabu no mundo do futebol! É quase que inaceitável um atleta de futebol profissional ser diagnosticado com essa doença! Verdade ou não, podemos refletir sobre este fato comum, mas tão pouco discutido no mundo do esporte!

A gente tende a imortalizar os profissionais do futebol como se a fama e o dinheiro comprassem uma blindagem contra os pensamentos negativos, pressões, nervosismo e ansiedade. Estamos falando do ser humano! Não do atleta! A conta bancária pode comprar muita coisa, mas em se tratando de emoções, o dinheiro pode promover ainda mais vazio! Surge aquela estranha sensação de TER tudo, mas não SER nada. Este contraponto é difícil de ser compreendido porque nascemos e crescemos numa sociedade que compreende que TER é sinônimo de SER, mas não é bem assim que funciona! A notícia boa é que não ter dinheiro e fama não significa que você não É ninguém!

Eu já vivi depressões, angústias, medos, nervosismo, ansiedade e frustrações no futebol. Nunca tive alguém que entendesse de fato o que estava sentindo e por isso investi em desenvolver conteúdos sobre esse assunto! A questão do Paquetá não é mais sobre TER alguma coisa, mas sobre vencer as barreiras mentais que foram sendo criadas na medida que as enormes expectativa dos milhões que foram investidos não tiveram o retorno esperado! Pode soar como frescura, mas centenas de atletas profissionais e jovens que almejam o futebol estão em depressão! Sofrem com ansiedade e nervosismo! São vítimas de crenças negativas e se tornam vulneráveis aos momentos de pressão! Resultado? Baixa perfomance, tristeza e frustração! Esse é um tabu no esporte! Parece que somos obrigados a sermos felizes porque estamos na profissão dos sonhos de todos os homens brasileiros!

Entretanto, o futebol demanda uma capacidade mental que muitas vezes os jovens não estão maduros o suficiente! Se você quiser ter acesso a conteúdos exclusivos sobre mentalidade no futebol e como vencer seus medos CLIQUE AQUI!